Estresse


Autoria: Dra. Ana Beatriz Barbosa Silva

* Dra Ana Beatriz Barbosa Silva (Médica Psiquiatra, CRM/RJ 5253226/7)

O que é estresse?

Trata-se de um “alerta” do organismo que prepara o indivíduo para reagir a uma ameaça externa (ex.: susto, fuga, briga etc.). Esta ameaça desencadeia alterações neurohormonais, ou seja, o cérebro libera substâncias (hormônios) que irão modificar todo o funcionamento do organismo. Fenômeno da vida moderna, o estresse pode estar presente na vida de todas as pessoas, independente de sexo, idade, profissão ou posição social.

A reação do estresse deixa de ser normal quando, em algumas situações, torna-se crônica e passa a causar uma série de doenças, agravar outras existentes e até mesmo levar à morte.

A vida de hoje se constitui em um jogo extremamente competitivo no qual, a busca desumana por dinheiro e prestígio, transforma a todos em verdadeiros rivais. Viver passou a ser uma tarefa, muitas vezes, maior que nossas resistências podem suportar.

Vivemos a maior parte do tempo para atender as expectativas do grupo social a que estamos ligados e esquecemo-nos de satisfazer as nossas reais necessidades (afeto, paz, harmonia etc.). Com isso, passam-se meses e anos e, quando nos damos conta, uma sensação de falta de controle sobre nossas próprias vidas nos assola a mente gerando altos níveis de ansiedade e angústia que acabam por predispor o aparecimento do estresse e suas desagradáveis consequências.

Diante da impossibilidade de fugirmos das tensões e pressões do dia-a-dia, nos vemos impelidos a aumentar nossos conhecimentos sobre o estresse e seus mecanismos para que possamos evitá-lo e, com isso, abrirmos a possibilidade de uma vida com mais qualidade e equilíbrio.

O estresse pode ocorrer em qualquer pessoa?

O estresse pode acometer qualquer pessoa a qualquer momento de sua existência: infância, fase adulta ou em idade mais avançada.

É importante destacar que o mecanismo do estresse é individual, ou seja, uma situação que para uma pessoa pode ser corriqueira, pode ser muito desgastante para outra.

Isto acontece pelo fato de que cada ser humano tem um jeito de avaliar e resolver os seus problemas.

As reações físicas

A descarga de vários hormônios pelo cérebro que ocorre na reação de estresse visa preparar o indivíduo para enfrentar um determinado problema. Esta descarga gera uma série de alterações físicas no organismo que são: tensão muscular (os músculos se contraem), a pele fica retraída, o coração ameaça a bater rapidamente, a respiração é acelerada, a pupila se dilata, os pelos ficam eriçados, existe um excesso de suor e, em casos extremos, pode ocorrer uma eliminação involuntária de fezes e urina.

Quando todas essas reações ocorrem em um momento de “alerta” (p. ex.: um assalto), não significa que a pessoa esteja doente, mas sim que ela está tendo uma reação normal do organismo a um fato inesperado ocorrido.

Vale a pena salientar que estas reações não ocorrem somente em situações negativas, elas aparecem também em ocasiões boas como paixão, uma grata surpresa, recebimento de uma boa notícia etc. O estresse causado por uma situação positiva costuma ser menos prejudicial ao organismo.

O estresse possui três fases: alarme, resistência e exaustão.

Alarme

Esta fase ocorre no momento exato em que um fato inesperado surge, seja ele de conteúdo positivo ou negativo. Encontramos nesse período as seguintes reações físicas: dor de cabeça, palidez, taquicardia, suor em excesso, pressão alta transitória, dor de estômago, pressão no peito, aperto na mandíbula etc.

Resistência

Se não tivermos a interrupção dos fatores causadores do estresse entramos na fase de resistência. Nesta fase o estresse deixa de ser uma reação normal do organismo e passa a ser considerado uma doença que precisa ser tratada. As reações físicas ficam mais intensas. A pressão arterial permanece alta, o coração bate em ritmo mais acelerado o tempo todo.

O organismo como um todo funciona em ritmo acima do normal. Os sintomas mais comuns desta fase são: irritabilidade, incapacidade de relaxar, isolamento social, impotência, gripes constantes, queda de cabelos, cabelos brancos etc.

Exaustão 

Nesta fase o organismo tem suas energias bastante desgastadas e surge o risco do aparecimento de doenças graves ou de morte repentina. Dentre as doenças mais comuns neste período temos: depressão, infarto cardíaco, derrame cerebral, gastrite, úlcera, câncer, asma, bronquite, edema pulmonar e reumatismo.

Se houver uma mudança no estilo de vida visando eliminar as causas do estresse e mudar a maneira de lidar com os problemas, poderá haver uma recuperação (no caso de úlcera, depressão, infarto etc.). Se isto não ocorrer, as consequências podem ser fatais a curto ou médio prazos. Os infartos poderão se repetir até a morte, a úlcera poderá se transformar em câncer ou a depressão poderá ter como consequência o suicídio.

Fonte:

CONSULTÓRIO

Avenida das Américas, 3500, bloco 6
Condomínio Le Monde, sala 401,
Barra da Tijuca, Rio de Janeiro – RJ
CEP: 22640-102
(21) 3435-8592 / 3435-8597
Cel.: (21) 99566-5547

CONSULTÓRIO

Avenida das Américas, 3500, bloco 4
Condomínio Le Monde, sala 107,
Barra da Tijuca, Rio de Janeiro – RJ
CEP: 22640-102
(21) 3042-9525 / 3042-9526
Cel.: (21) 99566-5558

EVENTOS E ENTREVISTAS

Assessoria literária:
Mirian Pirolo
mirianfpirolo@gmail.com

Assessoria de Eventos:
Maria Célia Arruda
mceliaarruda@yahoo.com.br

REDES SOCIAIS