Untitled Document
CONSULTÓRIOS

Avenida das Américas, 3500, bloco 6
Condomínio Le Monde, sala 401,
Barra da Tijuca, Rio de Janeiro - RJ
CEP: 22640-102
(21) 3435-8592 / 3435-8597
Cel.: (21) 99566-5547

Avenida das Américas, 3500, bloco 4
Condomínio Le Monde, sala 107,
Barra da Tijuca, Rio de Janeiro - RJ
CEP: 22640-102
(21) 3042-9525 / 3042-9526
Cel.: (21) 99566-5558
contato@draanabeatriz.com.br
abcomport@gmail.com

LEIA PARTE DO LIVRO
SINOPSE

MENTES CONSUMISTAS: do consumismo à compulsão por compras.

Autoria: Dra Ana Beatriz Barbosa Silva
Editora: Globo/Principium



INTRODUÇÃO
* Dra Ana Beatriz Barbosa Silva (Médica Psiquiatra, CRM/RJ 5253226/7)

Nos últimos quinze anos, o número de pessoas que chegaram ao meu consultório aparentemente com quadros ansiosos e/ou depressivos aumentou de forma significativa. No entanto, pude perceber que, por trás de tanta ansiedade, angústia e depressão, grande parte daqueles jovens adultos escondia uma espécie de segredo, que só era revelado diante de alguma catástrofe iminente – quase sempre relacionada a dívidas contraídas ao longo de muitos anos: gastos descontrolados com coisas que todos julgavam ser uma forma inocente de se recompensar por situações de estresse. A meu ver, tal tragédia inevitável conectava-se às inerentes escolhas do viver, ou ainda às ilusórias crenças de que comprar para presentear era uma forma de agradar as pessoas amadas e, com isso, mantê-las ao lado.

Eu sabia que, de alguma maneira, aquela nova forma de adoecimento sinalizava um comportamento crescente e, longe de ser um fenômeno pontual, tratava-se de uma tendência na eterna busca humana pela felicidade. Passei a desenvolver um olhar mais atento sobre essa questão e, após mais de uma década de muitas anotações, pensamentos, dúvidas, questionamentos e percepções, resolvi organizar essa experiência em formato de livro. Tal iniciativa, além de me proporcionar respostas positivas em minha prática profissional, trouxe-me grande aprendizado sobre o que realmente tem significado e valor na minha vida pessoal.

Quando, em 2000, resolvi não mais tratar dependentes químicos, o fiz por absoluta sensação de impotência frente aos avanços tecnológicos das drogas sintéticas, que, ao serem fabricadas em laboratórios clandestinos ao redor do mundo, passaram a ter suas potências geradoras de prazer quase ilimitadas. Dessa forma, os usuários eram facilmente “capturados” e se tornavam compulsivos e descontrolados, limitando sua vida a decadência e transformando-se em robôs programados para obter um prazer intenso, efêmero e suicida. Vi pacientes e amigos escorrendo por entre meus dedos, como água que tentamos pegar no desespero de apagar incêndios instalados. Porém a vida sempre nos surpreende ao criar novos caminhos para enfrentarmos os desafios aos quais estamos destinados.

Quando resolvi estudar e tratar os compradores compulsivos travestidos de angústia e depressão que a mim chegavam, surpreendi-me com a dinâmica psíquica desses indivíduos. Os que sofrem de compulsão por compras, cientificamente denominados oniomaníacos, apresentavam características extremamente semelhantes as dos dependentes de substâncias químicas. E mais: de forma hibrida, também guardavam peculiaridades de vários outros transtornos psíquicos sobre os quais eu já havia me debruçado em estudos que foram temas de livros, como o transtorno do déficit de atenção (TDAH), o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), a bulimia, a anorexia, o jogo patológico, entre outros.

Novamente, estava eu envolta nos transtornos compulsivos, mas, dessa vez, os motivos desencadeadores da satisfação imediata eram coisas materiais que, na maioria das vezes, nem sequer chegavam a ser usadas. Percebi que o grande prazer desses pacientes estava no “ato de comprar”, e não necessariamente na posse dos objetos, que logo após eram esquecidos em um canto qualquer. E todos eles, fossem mulheres ou homens, esconderam por anos suas compras das pessoas mais íntimas, assim como fazem os alcoolistas e os dependentes químicos em geral.

No entanto, os compulsivos por compras, de forma um pouco diversa dos demais transtornos compulsivos, acabam por confundir sua frágil identidade com a logomarca dos produtos que adquirem. Colocam a mente em um jogo manipulador e perverso que torna o ter sinônimo do ser. Julgam sua identidade e seus afetos pelo que podem adquirir e oferecer aos demais e, assim, vivem numa espiral de angústia e insatisfação, feito pinturas esmaecidas pelo tempo.

Auxiliar essas pessoas é como ensiná-las a se ver no espelho da existência e a enxergar o reflexo do que realmente são e para que se destinam. Existir, pelo menos em nossos parcos conhecimentos, carece de sentido formal, mas talvez esse seja o maior de todos os nossos desafios: fazer a melhor arte vital sem saber no que vai dar. E, nessa arte, precisamos dar o melhor do que habita em nós e esculpir a melhor “mercadoria” que podemos ser: uma mercadoria sem preço. Afinal, felicidade não se compra, mas pode e deve ser vivenciada.

Agradeço de alma e de coração a todas as pessoas que me ajudaram na jornada de transformar essas vivências, algumas tristes e muitas transcendentes, nesta obra Mentes consumistas.

Iniciamos aqui um mergulho rumo ao universo do consumo e do consumismo desenfreado, cujo caminho apresenta curvas perigosas e retas ilusórias, e no qual a satisfação imediata do presente costuma eliminar as chances de um futuro tranquilo, no qual seríamos capazes de transformar todas as nossas vivências na tão almejada sabedoria. Somente de posse dela conseguiremos distinguir o que realmente tem valor do que apenas tem preço; e é nesse patrimônio não mensurável que reside a verdadeira felicidade.

Foto: Sandra Lopes

Dra Ana Beatriz Barbosa Silva

Médica graduada pela UERJ com pós-graduação em psiquiatria pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Professora Honoris Causa pela UniFMU (SP) e Presidente da AEDDA – Associação dos Estudos do Distúrbio do Déficit de Atenção (SP). Diretora da clínica ANA BEATRIZ BARBOSA SILVA - Comportamento Humano e Psiquiatria (RJ). Escritora, realiza palestras, conferências, consultorias e entrevistas nos diversos meios de comunicação, sobre variados temas do comportamento humano.

E-mail:
contato@draanabeatriz.com.br
abcomport@gmail.com


Livros - Dra. Ana Beatriz

topo